Blog do Pannunzio

No Senado, parlamentares pedem criação de CPI para investigar mensalão brasiliense

O feriado distrital do Dia do Evangélico esvaziou a tribuna do Senado Federal nesta segunda-feira, mas não impediu que os poucos parlamentares presentes mostrassem revolta com  relação ao já conhecido episódio do “mensalão brasiliense”. Em gravações feitas por um ex-assessor do governador do Distrito Federal, José  Roberto Arruda e outros políticos da base aliada do governo aparecem recebendo  propina em maços com notas de R$ 50 e R$ 100. Alguns deles, para esconder a verba, acabavam guardando o montante nas próprias meias.

O pedetista Cristovam Buarque, ex-governador do DF, foi um dos primeiros a falar. Pediu desculpas à população brasileira e afirmou estar “profundamente envergonhado” com a situação revelada na última sexta-feira através da Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal.

“Peço desculpas por tudo. O enterro ético e moral da política foi o que vimos na televisão, em cadeia nacional”, disse Cristovam.

Segundo ele, os pedetistas definiram hoje em reunião as próximas providências a tomar por conta do ocorrido. Entre elas está a entrega imediata de três cargos ocupados por políticos do PDT e que trabalhavam na pasta da educação local. “A partir de amanhã nenhum deles estará no governo. E isso é muito pouco perto do que precisamos para encontrar o caminho certo”, afirmou.

Ainda de acordo com o parlamentar, diversos pontos vão ser seguidos de agora em diante. O partido vai dar entrada no pedido de instalação de uma CPI na Câmara Legislativa, solicitar a saída do presidente da Casa Legislativa, Leonardo Prudente, pedir o afastamento voluntário do governador José Roberto Arruda, chamar a sociedade civil para uma mobilização e pedir auditoria completa em todas as contas do governo do Distrito Federal.

Durante discurso, Cristovam Buarque foi interrompido pelo senador Mão Santa, que exigiu a criação de uma comissão no Congresso Nacional para apurar os fatos. “A verdade só tem uma e há algo de podre nessa Brasília. Vossa Excelência é responsável e tem obrigação de fazer”, excalmou o piauiense do PSC. “A CPI tem que partir daqui e tem que ser aqui e agora e não amanhã”, disse Mão Santa exaltado.

O pedido foi acatado por Cristovam, que prometeu se mobilizar para colher as assinaturas para que as investigações também aconteçam por aqui.

Já o senador João Pedro (PT-AM), afirmou estar constrangido com os últimos acontecimentos na política brasiliense. “Isso se reflete em todos os políticos. Esse comportamento se reflete em todos os governadores e em todos os parlamentares como um todo”, disse ao sugerir o afastamento imediato do governador. “Agora, os democratas precisam manter coerência e a investigação tem que prosseguir”.

“Acredito que dois milhões de brasilienses vão encontrar uma saída para limpar a lama e a imagem do governo do Distrito Federal”, completou Cristovam.

Diante das circunstâncias, alguns partidos têm cogitado inclusive a antecipação do processo eleitoral. Outras legendas e organismos já defendem o impeachment de José Roberto Arruda que, há nove anos, manchava parte da vida política ao participar da violação do painel de votações do Senado Federal.

Comentários

Related posts

Novo Arrudômetro marca o tempo de Arruda na cadeia

Destaques dos jornais de hoje – Jornal do Brasil

Senadores apresentam novas denúncias ao Conselho de Ética contra Sarney

Fábio Pannunzio

Leave a Comment