Blog do Pannunzio

Mensalão do DEM tem elo com empresas de bicheiro

HUDSON CORRÊA, ANDREZA MATAIS E ANDRÉA MICHAEL

As empresas Sapiens e Tecnolink, que no inquérito da Operação Caixa de Pandora são acusadas de irrigar por fora da contabilidade oficial a campanha do DEM, pertencem a Messias Antonio Ribeiro Neto, identificado pelo relatório da CPI dos Bingos do Senado, em 2006, como “empresário do jogo do bicho em Goiás”.

A Sapiens, fabricante de softwares, assinou em 2006 contratos sem licitação de R$ 28 milhões com a Codeplan, órgão do DF que era presidido por Durval Barbosa, delator do esquema. Já a Tecnolink embolsou R$ 4,9 milhões.
Em depoimento à Justiça, Barbosa disse que, em troca dos contratos milionários sem licitação, as empresas de Ribeiro Neto pagavam despesas por fora na campanha de Arruda.
O Ministério Público do DF move ação contra a Sapiens e afirma que o esquema na Codeplan, incluindo contratos com outras empresas, envolveu R$ 500 milhões entre julho de 2005 e janeiro de 2006.
O empresário sempre negou atuar no jogo do bicho. Procurado, não telefonou de volta. À CPI dos Bingos ele disse que, em 1994, participou de um grupo empenhado na legalização das apostas. “Essa foi a ligação que houve com o jogo do bicho”, afirmou na ocasião.

Bicho eletrônico


Ribeiro Neto é dono de uma empresa de jogos chamada Palpiteca, que há dez anos opera uma espécie de jogo do bicho eletrônico em Goiás, segundo a Polícia Civil paulista. Também foi sócio do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, também identificado pela CPI como bicheiro.
Os dois estiveram envolvidos no primeiro grande escândalo do governo Lula e que, em 2004, derrubou Waldomiro Diniz, na época subchefe de Assuntos Parlamentares da Presidência e ex-assessor do então ministro José Dirceu (Casa Civil). Num vídeo, Waldomiro foi filmado pedindo propina a Cachoeira -que fez a gravação.
Pela legislação em vigor, a exploração do jogo é considerada contravenção penal -com pena de quatro meses a um ano de prisão, além de multa.
A experiência policial demonstra que se trata de uma atividade organizada que está na origem de uma série de crimes ainda mais graves e lucrativos, como formação de quadrilha, corrupção, diferentes tipos de fraude, tráfico de influência, além de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.
Folha percorreu na semana passada bancas de jogo do bicho em Goiânia, onde estaria localizada a sede da Palpiteca. A reportagem conversou com funcionários de bancas do jogo que confirmaram que as bancas são de Ribeiro Neto. “Agora aqui só tem aposta de bicho mesmo?”, a reportagem indagou. “Aqui é bicho e Quina Brasil [outra modalidade de jogo]”, diz o funcionário da banca. “A Look é do seu Messias”, completou. Look, segundo o Ministério Público de Goiás, é uma operadora de jogo do bicho.
A Sapiens não está mais no endereço em Brasília que consta na Receita Federal. Já no endereço que seria da Palpiteca, em Goiânia, funciona uma empresa de contabilidade.

Se você é assinante, clique aqui para ler a íntegra da cobertura no site da Folha

Comentários

Related posts

Comissão vai ouvir vidente para saber causas do apagão

Destaques dos jornais de hoje – O Estado de S. Paulo

Pandemia interrompe perícias do Serviço Médico da Câmara dos Deputados

Fábio Pannunzio

Leave a Comment