Blog do Pannunzio

Dinheiro apreendido pela PF veio de empresas citadas em esquema de Arruda

Relatório da Polícia Federal diz que o dinheiro apreendido na Operação Caixa de Pandora na sala de Fábio Simão, então chefe de gabinete de José Roberto Arruda, veio de empresas que pagavam propina no esquema do mensalão do DEM.
Essa é a primeira evidência concreta produzida pela investigação. No relatório entregue anteontem ao STJ, a PF diz que apreendeu notas com a mesma série tanto na sala de Simão como nas empresas Vertax e Adler, que pagaram propina ao suposto esquema de Arruda.
Em outubro, Durval Barbosa deu à PF R$ 400 mil recebidos das empresas. A PF anotou os números, marcou com tinta invisível parte das notas e as devolveu a Barbosa, que as distribuiu a aliados de Arruda. Um mês depois, parte dessa quantia foi achada na sala de Simão.

 

Se você é assinante, clique aqui para ler a íntegra da cobertura no site da Folha

Comentários

Related posts

Destaques dos jornais de hoje – Folha de S. Paulo

Oraite II – Do dia em que estive na mira de um rifle

Fábio Pannunzio

Festa da Força Sindical vira ato de apoio a Dilma. ‘Vocês sabem quem eu quero’, diz Lula

Leave a Comment