Blog do Pannunzio

A cerejinha do panetone

Sílvio Navarro, editor interino da coluna Painel

Desdobramentos das investigações da Polícia Federal sobre os contratos de empresas de informática no Arrudagate esbarraram no nome de Valério Neves, braço direito do ex-governador Joaquim Roriz (PSC) e por ele instalado na presidência do PSC do Distrito Federal. 

Neves foi chefe de gabinete de Roriz e antecessor de Durval Barbosa, o homem-bomba do mensalão candango, na Secretaria de Relações Institucionais. Também é ligado ao deputado distrital Rubens César Brunelli (PSC), que aparece nos vídeos da “oração da propina”.

Se você é assinante, clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

 

Comentários

Related posts

PPS vai entrar com ação no TSE contra Lula

Destaques dos jornais de hoje – Valor Econômico

Aposentados: mudanças aprovadas pela Câmara provocam gasto extra de R$ 4 bilhões/ano

Leave a Comment