Blog do Pannunzio

Ex-governador Joaquim Roriz teria recebido R$ 2,2 milhões para facilitar negócio com o dono da Gol Linhas Aéreas

Jailton de Carvalho

Depois da prisão do governador José Roberto Arruda e da renúncia do vice Paulo Octávio, está chegando a hora de o ex-governador Joaquim Roriz ser chamado para prestar contas à Justiça. Após dois anos de uma longa investigação, o Ministério Público conclui o texto de uma ação de improbidade contra o ex-governador Roriz.
Ele é acusado de receber uma propina de R$ 2,2 milhões para facilitar um negócio de aproximadamente R$ 44 milhões para o empresário Nenê Constantino, dono da Gol Linhas Aéreas. O dinheiro teria sido pago a Roriz em troca da mudança de destinação de um terreno de 80 mil metros quadrados na extremidade sul de Brasília.

Além da nova ação, Roriz também será arrastado para o centro das investigações da Operação Caixa de Pandora.

Na semana passada, o Ministério Público decidiu chamar para depor a deputada Eurides Brito (PMDB) e o ex-secretário de Planejamento José Luiz Vieira Neves, para que forneçam detalhes sobre os vínculos entre Roriz e o mensalão do DEM, supostamente chefiado por Arruda. Depois de serem flagrados recebendo dinheiro do ex-secretário Durval Barbosa, um dos operadores do mensalão, ambos disseram que os recursos faziam parte de um acerto com o ex-chefe Joaquim Roriz.

Clique aqui para ler a íntegra no site do O Globo

Comentários

Related posts

Serra e Dilma vão apoiar decisão do governo sobre reajuste de aposentados

CCJ adia votação de requerimento que pede a extinção do Conselho de Ética

Senadores querem demissão de chefe da segurança da Casa

Leave a Comment