Blog do Pannunzio

Estagiários fazem sozinhos o atendimento de emergência no maior hospital de Brasília

Se você mora em Brasília, torça para não precisar de atendimento de urgência na rede pública de saúde. De acordo com médicos do SAMU, o plantão da emergência do Hospital Base está entregue aos residentes, que trabalham invariavelmente sem a supervisão do chamado staff — os médicos plantonistas que deveriam orientar o atendimento.

Um dos médicos do SAMU revela que em seus últimos cinco plantões não havia ninguém na emergência além dos estudantes residentes. “Na última semana, transportamos um paciente que havia sido vítima de uma facada no torax e estava em condições críticas, em choque hipovolêmico (quando o volume de sangue nas veias e artérias é insuficiente para  manter a circulação). Era necessário fazer a ressecção de uma veia para aplicar um expansor (líquido composto por soro fisiológico e plasma sanguíneo) para que o paciente não morresse. Isso só foi feito porque eu falei grosso, e ainda assim depois de quase meia hora”, conta o médico.

Outro resgatista conta que não havia médicos do staff no HBB em seus últimos cinco plantões no SAMU. “Isso acaba jogando foram todo o esforço do primeiro atendimento, quando as equipes lutam contra o tempo para manter vivos pacientes graves até a chegada ao hospital”. A demora e os procedimentos incorretos podem determinar a diferença entre a vida e a morte de que foi acidentado, vítima de arma branca ou de fogo ou teve ferimentos múltiplos. “Vidas estão se perdendo por incúria da Secretari de Saúde, que historicamente vem negligenciando suas responsabilidades no maior hospital público de Brasília”, diz o médico.

 

 

Comentários

Related posts

CPI da Corrupção convoca Arruda a dar explicações sobre irregularidades por escrito

Caso Sean: Como uma guerra na mídia expôs as visceras emocionais de um garoto quase sem família

Fábio Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Folha de S. Paulo

Leave a Comment