Blog do Pannunzio

PAC-2 prevê investimentos de R$ 1,5 trilhão

Gustavo Paul

A segunda versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2) prevê investimentos totais de R$ 1,590 trilhão a partir de 2011. Pela planilha apresentada nesta segunda-feira pela Casa Civil serão investidos entre 2011 e 2014 R$ 958,9 bilhões. A partir de 2014 a previsão de investimentos passa a ser R$ 631,6 bilhões. A maior parte dos investimentos será na área de energia que irá consumir a partir de 2011 R$ 1,92 trilhão, dos quais R$ 465,5 bilhões entre 2011 e 2014 e R$ 627,1 bilhões a partir de 2014.

O PAC-2 prevê ainda R$ 278,2 bilhões para o Programa “Minha Casa Minha Vida” entre 2011 e 2014. Outros R$ 109 bilhões serão gastos na área de transporte. A planilha também prevê R$ 57,1 bilhões no programa “Cidade Melhor”, com investimentos em obras de saneamento, prevenção em área de risco, mobilidade urbana e pavimentação; outros R$ 23 bilhões irão para o programa “Comunidade Cidadã”, que prevê obras de pronto atendimento de saúde, unidades básicas de saúde, creches, pré-escolas, quadras esportivas nas escolas, praças e postos de polícia comunitária.

Também constam no PAC-2 investimento de R$ 30,6 bilhões que irão para o programa “Luz Para Todos”, abastecimento de água em áreas urbanas e recursos hídricos.

Ações sociais do PAC-2 estão voltadas às periferias dos centros urbanos

A segunda fase do PAC prevê diversas ações de integração de comunidades, com foco nas periferias dos grandes centros urbanos. Serão 10.116 quadras poliesportivas em escolas, a um custo de R$ 4,1 bilhões; 800 praças, a um custo de R$ 1,6 bilhão; 2.883 postos de polícia comunitária, orçados em R$ 1,6 bilhão; 500 unidades de pronto-atendimento (UPAs, em saúde), a R$ 2,6 bilhões; 8.694 unidades básicas de saúde, que custarão R$ 5,5 bilhão; 6 mil creches e pré-escolas, a um custo de R$ 6,7 bilhões.

Já na segunda etapa do programa habitacional “Minha Casa Minha Vida”, estão previstos R$ 71,7 bilhões, em recursos orçamentários e do FGTS, para o financiamento de 2 milhões de moradias, 60% dos quais voltados a famílias com renda até R$ 1.395. Outros R$ 176 bilhões virão de financiamentos habitacionais com recursos da poupança.

Haverá ainda R$ 30,5 bilhões para transformação de favelas em bairros populares, dos quais R$ 27 bilhões com recursos do Orçamento.

Clique aqui para ler a íntegra no site do O Globo

Comentários

Related posts

PF encontrou dinheiro ”marcado” na residência oficial de Arruda

Oposição questiona reforma do Palácio do Planalto

Fábio Pannunzio

Corrida eleitoral começou hoje. Serra agora vai ter que dizer a que veio.

Leave a Comment