Blog do Pannunzio

Dez candidatos vão disputar governo do DF; cinco chapas são ligadas a Arruda

Márcio Falcão

Dez candidatos se inscreveram nesta quarta-feira na Câmara Legislativa do Distrito Federal para disputar a eleição indireta que vai escolher o governador e vice após a crise política que derrubou o governo Arruda.

Entre as chapas inscritas, cinco apresentam nomes que têm ligação ou fizeram parte da gestão do ex-governador José Roberto Arruda (sem partido), que é acusado de chefiar um esquema de arrecadação e pagamento de propina e teve o mandato cassado pela Justiça Eleitoral por desfiliação partidária.

O PR apostou em uma chapa puro sangue para formalizar a indicação do governador interino Wilson Lima. Presidente licenciado da Câmara Legislativa, Lima deixou a vaga para assumir o governo após a prisão de Arruda e a renúncia do ex-vice-governador Paulo Octávio (DEM).

Lima foi eleito para comandar a Câmara no início do ano após as denúncias do esquema de corrupção e foi escolhido para o cargo com o aval de Arruda.

Outra chapa com ligação ao ex-governo é do PMDB, que tem três parlamentares citados no esquema de corrupção. Os peemedebistas escolheram para governador o ex-presidente da Codeplan (Companhia de Planejamento do Distrito Federal), Rogério Rosso, e para vice Ivelise Longhi, ex-secretária e ex-administradora (espécie de prefeitura) de Brasília.

O candidato do PV ao governo, Nilton Reis, era subsecretário da Secretaria de Meio Ambiente e saiu do cargo após 11 meses também por causa da crise.

Ex-secretário de Esportes, o deputado distrital Aguinaldo Jesus (PRB) foi o único em atuação na Casa a se lançar na disputa. Newton Teixeira de Carvalho era ex-administrador da Estrutural.

Entre os candidatos também estão o ex-presidente da Infraero, José Carlos Pereira, e José Messias (PCdoB) ex-assessor especial do ministro Guido Mantega (Fazenda). Alguns dos indicados já testaram a popularidade em outras eleições, mas foram rejeitados nas urnas como Virgilio Macedo (PSDC), candidato ao Senado em 2006.

O pleito está marcado para o dia 17 e a Mesa Diretora ainda precisa validar as chapas para a disputa. Ao todo, 23 dos 24 deputados distritais têm direito a voto e representarão 1,7 milhão de eleitores. Uma vaga na Câmara esta em aberto porque o suplente de deputado Geraldo Naves (sem partido) está preso e ainda não assumiu a cadeira.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários

Related posts

Destaques dos jornais de hoje – O Estado de S. Paulo

Presidente do STF propõe amenizar regras que impedem o nepotismo; Sérgio Guerra emprega nove da mesma família

Aprovação pessoal de Lula sobe para 81%, diz pesquisa CNI/Ibope

Fábio Pannunzio

Leave a Comment