Blog do Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Valor Econômico

Dívidas de governos viram fundos
A mudança na forma de pagamento dos precatórios feita no fim de 2009 começa a movimentar o mercado de fundos de dívidas judiciais dos governos. Desde o início do ano, três novos fundos de precatórios foram registrados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e um quarto está em análise, somando R$ 1,9 bilhão. O valor é quase cinco vezes maior que os R$ 400 milhões em fundos criados no ano passado e se equipara aos lançamentos ao longo de 2008 inteiro.
A nova legislação, ao uniformizar a correção das dívidas, torna possível saber exatamente o valor do precatório que será pago daqui a 10 ou 15 anos, o que não ocorria antes. Assim, transformou os precatórios em títulos negociáveis. (págs. 1, C1 e C2)

Remuneração nos bancos sobe 50%
Os quatro principais bancos do país – Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander – gastaram R$ 541 milhões com diretores e conselheiros fiscais e de administração em 2009. Para este ano, a previsão é de um desembolso de R$ 811 milhões, com um aumento de praticamente 50%.
A divulgação dos números, exigida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a partir deste ano, mostra que essas instituições financeiras possuem estruturas de comando e políticas de remuneração bem diferentes entre si. O Bradesco tem 82 diretores estatutários e praticamente não paga remuneração variável. Já o Itaú Unibanco, seu principal concorrente no setor privado, possui apenas 16 diretores e concentra 85% do total pago na forma de bônus ou ações. (págs. 1 e D9)

Microsoft traz o Windows de ‘aluguel’
A Microsoft começa a vender hoje seus programas no Brasil por meio de um novo sistema pelo qual o usuário paga exatamente pelo que consome. Assim, ele pode usar o Windows por US$ 0,12 a hora e pagar a conta no fim do mês, com o cartão de crédito. A maior empresa de software do mundo, sinônimo da venda de sistemas por meio de licenças por usuário, decidiu aderir definitivamente ao modelo do micropagamento.
Essa mudança radical na forma de vender software só foi possível graças a uma tendência que o mercado tem chamado de computação “em nuvem”, leia-se internet. Nesse modelo, do lado do usuário, basta ter um computador com acesso à rede, um login e uma senha de acesso. A fornecedora do software faz o resto, rodando tudo em seus próprios centros de dados instalados mundo afora. (págs. 1 e B2)

Economia em movimento
Atividade industrial cresce acima do esperado no primeiro trimestre e reforça intenções de investimento no aumento da produção, amparadas no avanço do emprego e do crédito. (págs. 1 e A3)

Acordo pode favorecer negócio
Acordo militar assinado ontem entre Brasil e Estados Unidos poderá ajudar a Embraer na disputa para a venda de até 200 aviões Super Tucano para a Força Aérea americana. (págs. 1 e A4)

Chocolate da Cosan
A Cosan aposta na marca União – adquirida no ano passado com os ativos do grupo sucroalcooleiro Nova América – para assumir a terceira posição no mercado de achocolatados, diz Colin Butterfield. (págs. 1 e B4)

Déficit das autopeças
Multinacionais do setor de autopeças veem o mercado brasileiro como destino da produção dos países mais afetados pela crise. O déficit comercial do setor deve superar os US$ 3,6 bilhões neste ano. (págs. 1 e B8)

Renda agrícola
Cálculo preliminar do Ministério da Agricultura aponta que o Valor Bruto da Produção das 20 principais culturas do país deverá somar R$ 160,5 bilhões em 2010 – 2,3% mais que em 2009, mas abaixo do recorde de 2008. (págs. 1 e B11)

Campanha pelo etanol de cana
A União da Indústria da Cana-de-açúcar (Unica) inicia uma campanha de marketing nos Estados Unidos para tentar evitar a prorrogação dos incentivos ao etanol de milho por mais cinco anos. (págs. 1 e B12)

Inversões emergentes
As economias emergentes, encabeçadas pelos Bric – Brasil, Rússia, Índia e China – deverão investir algo entre US$ 1 trilhão e US$ 1,2 trilhão no exterior neste e no próximo ano, entre acumulação de reservas, investimento direto e depósitos de residentes. (págs. 1 e C3)

Ideias
Delfim Netto: reunião dos Bric é útil para resolver contencioso de subsídios da China que ferem indústria brasileira. (págs. 1 e A2)

Ideias
Dani Rodrik: as políticas industriais estão de volta. (págs. 1 e A15)

Ideias
Yoshiaki Nakano: crescimento só é sustentável se apoiado por políticas que evitem a sobrevalorização cambial. (págs. 1 e A15)

Comentários

Related posts

Minc critica política anti-drogas

Fábio Pannunzio

O Prodasen e a pirataria no Senado

Fábio Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Jornal do Brasil

Leave a Comment