Blog do Pannunzio

Dilma copia ex-presidente chilena e quer se lançar candidata a “presidenta”

Uirá Machado

A coordenação da campanha de Dilma Rousseff decidiu copiar Michelle Bachelet, primeira mulher presidente do Chile, e dizer que a petista é candidata a “presidenta”. Na avaliação do PT, o termo feminino pode marcar um diferencial da candidatura, mas ainda é preciso ter certeza de que não causará estranheza.

As palavras “presidente” e “presidenta” estão corretas, “mas a forma feminina é pouco usada”, diz Thaís Nicoleti, consultora de português do Grupo Folha-UOL. Palavras terminadas em “ente”, segundo ela, são resultado do antigo particípio presente e formam substantivos neutros. O que define o gênero é o artigo: “o” presidente, “a” presidente.

Para Pasquale Cipro Neto, o uso da forma “presidenta” “é desnecessário se considerarmos todos os outros casos. Os dicionários dão como forma possível, não obrigatória. Talvez a ‘exigência’ decorra do politicamente correto”.

Maria Helena de Moura Neves, professora do Mackenzie e da Unesp, concorda que não é necessário usar “presidenta”, mas diz que, do ponto de vista da campanha, “faz sentido, porque valoriza o fato de o PT estar lançando uma mulher à Presidência”.

Para Regina Dalcastagnè, professora da UnB, é impossível saber se isso terá impacto eleitoral positivo, mas diz que a questão “é política em sentido amplo, pois marca a presença do feminino e rompe com a uniformização na língua, sempre no masculino”.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários

Related posts

Destaques dos jornais de hoje – Jornal do Brasil

Governo avalia modelo para Petrobras no pré-sal

Destaques dos jornais de hoje – Correio Braziliense

Leave a Comment