Blog do Pannunzio

Em novo “escorregão”, Dilma diz que retirantes migravam do Nordeste “pro Brasil”

Ranier Bragon

A petista Dilma Rousseff cometeu uma gafe em entrevista gravada que concedeu à sua própria assessoria e que foi ao ar na noite desse domingo. Ao falar do filme “Vidas Secas” (1963), de Nelson Pereira dos Santos, a pré-candidata à Presidência disse que a história retrata “todo o problema da miséria, da pobreza, da saída das pessoas do Nordeste pro Brasil”.

O vídeo com a entrevista está disponível no site da petista –www.dilmanaweb.com.br e faz parte da estratégia de disseminar o discurso de Dilma pela internet e em rádios do interior do país. Na semana passada, o site começou a veicular áudios de 5 minutos com entrevistas temáticas, para rádios. Ontem, o modelo foi estendido ao vídeo.

Nessa entrevista, ela falou sobre cultura e respondia a perguntas de seu “guru” para a campanha virtual, Marcelo Branco. Ela disse, entre outras coisas, que o governo Lula aumentou de R$ 300 milhões para R$ 2,2 bilhões os investimentos no setor.

Dilma falou sobre “Vidas Secas” quando relatava debates em que participou no Centro de Estudos Cinematográficos, em Belo Horizonte, durante sua mocidade. O filme é baseado no clássico de 1938 do alagoano Graciliano Ramos (1892-1953).

O “escorregão” de Dilma foi apontado pelo leitor da Folha Online Osvaldo Castro. Nos áudios da semana passada, também produzidos por sua assessoria, a pré-candidata se referiu ao presidente da República em 1909 como sendo, “eu acho”, Arthur Bernardes. Na verdade, Affonso Penna foi o presidente até junho daquele ano, quando morreu. Nilo Peçanha assumiu e concluiu o mandato, até 1910. Bernardes só viria a ocupar o mesmo posto 12 anos depois, em 1922.

Clique aqui para ler a íntegra no site da Folha

Comentários

Related posts

Saiba como foi a noite de terror em Albina

Fábio Pannunzio

Dutra está nos corredores do Congresso

Fábio Pannunzio

Internet do Senado de novo em pane. Incompetência ou sabotagem?

Fábio Pannunzio

Leave a Comment