Blog do Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Valor Econômico

Prazo menor para a ação civil pública
Decisão recente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) poderá fazer com que ações sobre danos ao erário, patrimônio histórico ou ambiente sejam consideradas prescritas. Decisão da 2ª Seção da Corte, que aparentemente atingiria apenas os bancos, definiu ser de cinco anos o prazo para que uma ação civil pública seja proposta. Até, agora esse período estava em aberto e a discussão era a de se ele seria de 10 ou até 20 anos.
Apesar de não ser vinculativa, por não se tratar de uma súmula, a tendência é que as demais instâncias do Judiciário adotem a mesma posição, por se tratar de uma decisão de seção do STJ, juntando duas turmas de magistrados. Para o Ministério Público, o impacto do precedente, que é técnico, teria grandes efeitos sobre o trabalho realizado atualmente. Há casos em que ações são abertas depois de até 10 anos de investigação. Já os advogado que têm clientes que respondem a inquéritos há mais de cinco anos – antes ainda do início de ações – comemoram o entendimento. (págs. 1 e E1)

Montadoras já estão em recuperação
Após viver uma das piores crises de sua história, a indústria automotiva mundial ruma agora para a recuperação. Nas últimas semanas, Ford, Honda, Daimler e Volkswagen anunciaram previsões de alta significativa no lucro deste ano. Várias outras, como a Nissan, GM e Toyota, devem apresentar previsões otimistas e melhora nos resultados. Por trás do crescimento estão o aumento das vendas e os cortes de custos feitos durante retração. Um exemplo: no primeiro trimestre, a Mercedes ganhou € 2.613 para cada veículo que produziu. Um ano antes, perdia € 5.389 com cada carro que saía da linha de montagem. (págs. 1 e B6)

EcoRodovias vai investir R$ 3 bilhões
A EcoRodovias, controlada pela empreiteira CR Almeida e pelo grupo italiano Impregilo, vai usar os R$ 874 milhões levantados no mercado de capitais para financiar seu plano de investimentos de R$ 3 bilhões até 2012. A empresa, terceiro maior grupo de concessões rodoviárias do país, pretende atingir a meta ambiciosa de dobrar sua receita, de R$ 1 bilhão em 2009, em apenas três anos.
Para isso, planeja diversificar os negócios. Dos investimentos, um terço será direcionado ao novo ramo do grupo, de serviços logísticos. Outro terço deve ser dedicado a novas concessões. Segundo seu presidente, Marcelino Rafart de Seras, a empresa tinha planos de abertura de capital há anos. Dos novos recursos, nada deve ser usado para abater dívidas. (págs. 1 e B1)

BNDES vai financiar exportação de máquinas agrícolas para África e América Latina (págs. 1 e A3)

Com caixa reforçado, Hypermercas vai às compras (págs. 1 e B1)

Reajuste da Previdência
O governo aposta em negociação com a base aliada no Senado, especialmente do PMDB, para derrubar reajuste de aposentados e fim do fator previdenciário. (págs. 1 e A6)

Competitividade chinesa
Aumento do superávit comercial e das exportações chinesas em abril devem reforçar pressões por valorização do yuan. (págs. 1 e A10)

Brown prepara sua saída
O primeiro-ministro Gordon Brown anuncia intenção de deixar a liderança Trabalhista e a chefia de governo, abrindo espaço para continuidade do partido no poder em aliança com os liberais democratas. (págs. 1 e A11)

Entraves ao investimento
Ex-secretário de Política Econômica, Marcos Lisboa defende reformas microeconômicas para destravar investimentos em infraestrutura. (págs. 1 e A14)

Gávea na construção

A Gávea Investimentos, do ex-presidente do Banco Central (BC) Armínio Fraga, comprou 14,5% da área imobiliária do grupo Odebrecht. O valor da transação não foi divulgado. (págs. 1 e B8)

Demanda aquecida puxa preços
A Duratex, controlada pela Itaúsa, reajustou em 10% os preços dos painéis de madeira a partir deste mês. Em janeiro, o produto já havia subido 7%. (págs. 1 e B9)

Receita agrícola cresce menos
Recuo de quase 12% nos preços da soja e do milho deve reduzir a 1,14% o crescimento do valor bruto da produção agrícola brasileira em 2010, apesar da safra recorde. (págs. 1 e B11)

Ideias
Delfim Netto
Luta do sistema financeiro contra regulação mostra sua irresistível propensão a voltar ao lugar do crime. (págs. 1 e A2)

Ideias
Raymundo Costa
Ao dizer que pretende ter o PT e o PV no governo, Serra mostra-se incomodado com a fatalidade das alianças à direita. (págs. 1 e A6)

Comentários

Related posts

Lula tentou enquadrar PT. Mercandante reagiu. PT do Senado e Lula não se afinam sobre Sarney

Fábio Pannunzio

Em Minas, Serra defende fim da reeleição, aprovada na gestão de FH, e faz críticas ao governo Lula: ‘O PAC é uma lista de obras’

Distrito Federal perde R$ 30 milhões mensais do repasse do governo federal

Leave a Comment