Blog do Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – Valor Econômico

Bradesco diminui a distância para o Itaú Unibanco em ativos
O Bradesco está conseguindo, aos poucos, encurtar a distância para o rival Itaú Unibanco no ranking por ativos do sistema financeiro. Embora as primeiras posições não tenham mudado – com Banco do Brasil (BB) na dianteira, seguido por Itaú e Bradesco – , a aceleração de crédito ao longo dos últimos 12 meses fez o Bradesco avançar 10,5% no total de ativos (para R$ 532,6 bilhões), enquanto o Itaú Unibanco teve crescimento modesto, de 1,6% (para R$ 634,6 bilhões).
De janeiro a março, os bancos privados ampliaram a oferta de crédito em 3,7% , acima dos 2,6% verificados entre as instituições públicas. O comportamento do Santander foi o mais tímido entre os grandes bancos de varejo na concessão de financiamento. (págs. 1 e C1)

Petrobras adapta refinaria do Maranhão ao pré-sal
O início da contratação das obras de terraplenagem da futura refinaria da Petrobras no Maranhão coincide com a revisão do projeto e a provável redução do valor do investimento, previsto inicialmente em US$ 20 bilhões. A refinaria, que será construída no município de Bacabeira, será readequada para processar também o petróleo leve a ser produzido no pré-sal.
Inicialmente, a refinaria do Maranhão – e também uma outra, planejada para o Ceará – foi desenhada para refinar óleo pesado, extraído na Bacia de Campos. “Em vez de processar apenas petróleo pesado, o processo está sendo revisto para processar 50% de óleo do pré-sal”, diz Luiz Alberto Domingues, da Petrobras. (págs. 1 e B1)

De volta ao lucro, Unisys ajusta o foco dos negócios
Depois de ter voltado ao lucro em termos globais, interrompendo uma sequência de cinco anos de prejuízos, a fabricante de computadores e provedora de serviços Unisys quer aumentar suas operações no Brasil. Como muitas empresas dos mais diversos ramos, ambiciona uma parcela dos negócios a serem gerados com a Copa e os Jogos Olímpicos, diz Ed Coleman, presidente mundial.
A Unisys passa por uma reestruturação. No início do mês, vendeu sua área de serviços de processamento de contas de TV paga. Antes foi a de equipamentos de processamento de cheques. O foco agora é segurança, serviços de data center, terceirização e criação de mainframes – um diferencial da empresa praticamente desde a sua criação. (págs. 1 e B3)

Pacotes para a Copa quase esgotados
A menos de um mês do início da Copa, quase todos os pacotes turísticos estão vendidos. De um total de 5.500 colocados à disposição por sete agências brasileiras credenciadas, restam cerca de 300. A venda de toda a cota vai somar US$ 41 milhões, sendo 75% para empresas e 25% para particulares. A TAM vai operar 30 voos fretados durante a competição, que servirão como teste para definir se a empresa poderá oferecer voos diários para a África. A companhia chegou a anunciar esse plano em 2009, mas teve de abortá-lo por causa da crise mundial. (págs. 1 e B6)

Em meio a reações e descrença, Europa entra em nova era de austeridade (págs. 1 e A11)

Capital de risco retorna com a volta de ofertas iniciais de ações (págs. 1 e B12)

Cientistas buscam uma cana com mais energia (págs. 1 e EU& Fim de Semana)

FGTS no saneamento
O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) negocia sua entrada no capital de três empresas estaduais de saneamento, cujos nomes ainda são mantidos em sigilo. (págs. 1 e A2)

Alternativa multimodal
Apenas em São Paulo, os prejuízos causados pelos congestionamentos chegam a R$ 4 bilhões por ano, segundo a Fundação D. Cabral. A integração dos sistemas de transporte é a aposta das grandes cidades para enfrentar o problema. (págs. 1 e Caderno especial)

Casas de plástico
A MVC Soluções em Plásticos, de São José dos Pinhais (PR), vai construir 1,3 mil casas de plástico reforçado no Rio Grande do Sul e no Rio de Janeiro, dentro do programa Minha Casa Minha Vida. (págs. 1 e B8)

‘Transportadora’ AmBev
AmBev vai usar sua estrutura logística para prestar serviço a outras empresas. O objetivo é reduzir custos aproveitando a ociosidade de caminhões em fretes de retorno. (págs. 1 e B8)

Cisão da Usiminas
A Usiminas deve criar ainda neste ano uma empresa reunindo seus ativos minerais, sua participação na MRS e um terreno no porto de Sepetiba (RJ). Um sócio estrangeiro deverá participar do negócio. (págs. 1 e B9)

Suzano investe em biotecnologia
A Suzano Papel e Celulose negocia a compra da companhia inglesa de melhoramento genético e biotecnologia FuturaGene, por US$ 82 milhões. (págs. 1 e B9)

Exportação de milho
Governo prepara medidas de apoio à exportação de milho, que enfrenta dificuldades com o câmbio, a oferta argentina no exterior e a safrinha recorde. (págs. 1 e B14)

Recursos para o BNDES
O BNDES deve divulgar em cerca de 60 dias sua primeira capitalização por um fundo soberano estrangeiro. Negociações estão sendo feitas com países do Oriente Médio. (págs. 1 e C3)

MBA nacional ganha prestígio
Três escolas de negócios brasileiras figuram entre os melhores MBAs do mundo no ranking do “Financial Times”: fundação Dom Cabral (9ª), Fundação Instituto de Administração (30ª) e Insper (42ª). (págs. 1 e D12)

Ideias
Claudia Safatle
Há fortes indícios de que os países com metas de inflação se mostraram mais resistentes que os demais à turbulência. (págs. 1 e A2)

Ideias
Márcio Garcia
Serra defende a autonomia para as agências que criou, mas não para o BC, onde quer manter o poder de interferir. (págs. 1 e A13)

Comentários

Related posts

PSOL representa contra Sarney nesta terça

Fábio Pannunzio

Paraíba tem primeira morte por gripe suína

ONU quer moeda global no lugar do dólar

Leave a Comment