Blog do Pannunzio

Voando nas asas do dinheiro público

Lúcio Vaz

Além de verba para alugar escritórios nos estados, pagar as despesas com telefone, consultorias e assessores, os deputados federais têm outro benefício que ajuda muito na campanha eleitoral: o fretamento de aeronaves. Nos cinco primeiros meses deste ano, eles já gastaram R$ 1,8 milhão com o aluguel de aviões. Os gastos devem aumentar em junho, principalmente no Nordeste, quando os parlamentares costumar frequentar as festas juninas. Mas o maior proveito será mesmo no período de campanha eleitoral, quando eles poderão percorrer as suas bases eleitorais nas aeronaves fretadas pela Câmara. Um privilégio que não estará ao alcance dos candidatos que não têm mandato.

O deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA) já gastou R$ 30 mil nos primeiros meses do ano em viagens aos municípios mais distantes de Salvador. Mas ele assegura que não vai mais viajar por conta da Câmara quando iniciar oficialmente a campanha, a partir de início de julho. “A partir do registro da candidatura, não usarei mais. Não usarei nenhuma ação que possa misturar campanha eleitoral com mandato. Utilizarei aviões na campanha, se necessário, mas por meio da verba da campanha”, disse o ex-líder da bancada tucana. Ele acrescenta que, simplesmente por estar no mandato, o deputado já está em situação melhor em relação aos demais candidatos: “Isso já é uma vantagem em relação aos outros que disputam as eleições”.

Mas nem todos pensam da mesma forma. Os deputados afirmam que a utilização de aviões é imprescindível nos estados maiores, onde as distâncias entre a capital e os municípios mais longínquos chega facilmente a 800km. Com as estradas em mau estado, o uso das aeronaves seria a única forma de manter as visitas às bases eleitorais, para colher as reivindicações das comunidades. Mas alguns exageram. O deputado Zé Vieria (PR-MA) é, até agora, o campeão dos gastos com táxi-aéreo, com R$ 139 mil. Ele visitou 10 cidades em seis viagens no primeiro semestre. Em algumas delas, percorreu quase 1,5 mil km. Roberto Rocha (PSDB-MA) gastou R$ 136 mil, percorrendo quase as mesmas cidades: Balsas, Bacabal, Santa Inês, Grajaú, Carolina. A maior parte delas fica no Sul do estado.
Estados

Os deputados do PR são os que mais utilizaram aviões neste ano. Juntos, gastaram R$ 435 mil. Em seguida vem o PP, com R$ 325 mil. O PMDB, maior partido, é apenas o quarto nesse tipo de despesa, com R$ 120 mil. As maiores despesas ocorrem nos estados maiores e mais distantes. Os parlamentares do Maranhão gastaram R$ 302 mil. Os baianos de diversos partidos deram uma despesa de R$ 264 mil.

Uma alteração nas normas da Câmara abriu uma brecha para que essas despesas aumentem. Até o início do ano passado, os deputados contavam com uma verba de R$ 90 mil por semestre — em média R$ 15 mil por mês — para as despesas com divulgação, consultoria, escritórios, material de expediente, locomoção, gasolina e aluguel. Foi quando estourou o escândalo das passagens aéreas. Os deputados utilizavam as sobras de suas cotas para pagar passagens de familiares e apadrinhados, inclusive para o exterior.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Correio

Comentários

Related posts

A gênese da crise do Tribunal de Justiça de Mato Grosso

Fábio Pannunzio

A farra diminuiu, mas as despesas…

Fábio Pannunzio

Destaques dos jornais de hoje – O Globo

Leave a Comment