Blog do Pannunzio

Conselho de Ética racha base do governo

A disputa pela presidência do Conselho de Ética do Senado acirrou a discórdia entre líderes da base aliada do governo. Graças à insistência de Renan Calheiros (PMDB-AL) em fazer de Paulo Duque (PMDB-RJ) o presidente, contrariando um acordo com a oposição para eleger Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), aumentou a distância que havia entre ele e Aloizio Mercadante, líder do PT.

Na noite desta terça-feira, Mercadante e Renan tiveram uma reunião para afinar posições. O líder do PT comunicou ao colega do PMDB que manteria seu apoio a Valadares. Caso o acordo não prevalecesse, Mercadante avisou ao peemedebista que não assumiria mais nenhum compromisso em relação ao assunto, restando o Conselho de Ética sob responsabilidade integral do PMDB.

Não há solução alternativa possível entre os integrantes do Conselho que pertencem à base aliada. A eventualidade de um novo acordo entre petistas e governistas que não são do PMDB passaria necessariamente pelos nomes dos senadores João Pedro (PT-AM) ou Inácio Arruda (PC do B- CE). Mas ambos estão impedidos de disputar a presidência. Inácio Arruda, porque está de volta à relatoria da CPI das ONGs. E João Pedro, porque acaba de ser eleito presidente da CPI da PETROBRAS. O mesmo senador não pode acumular a titularidade dos cargos de comando em duas comissões.

Na prática, com a decisão de Mercadante de se afastar das articulações do Conselho, os senadores indicados por ele ficam livres para fazer o que bem entenderem. Inclusive, ao menos em tese, costurar um acordo com a oposição para isolar o PMDB.

Comentários

Related posts

Em menos de sete anos de mandato, Lula acumula mais de 260 condecorações

Serra acusa Lula de usar governo em benefício de Dilma

TAM não informa se já iniciou troca de sensores de velocidade

Fábio Pannunzio

Leave a Comment