Depois da morte da menina Daniela Camargo Casali, 2 anos, a 1ª Delegacia de Polícia Civil abriu ontem um inquérito para investigar se houve...

Depois da morte da menina Daniela Camargo Casali, 2 anos, a 1ª Delegacia de Polícia Civil abriu ontem um inquérito para investigar se houve negligência dos professores e assistentes que estavam na área da piscina durante a aula de natação. Peritos da corporação estiveram no Colégio Dromos para analisar o local do afogamento. Verificaram as grades que separam as duas piscinas e avaliaram a profundidade de cada uma.

O laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) também será importante para esclarecer as causas do acidente. Durante o exame, os legistas mediram o crânio da menina, a fim de indicar se ela conseguiria passar entre as grades. Essa informação será indispensável para saber o portão que separa as duas piscinas estava ou não aberto. O parecer técnico do IML e a perícia do Instituto de Criminalística ficam prontos em até 30 dias. O inquérito será baseado nesses documentos e nas oitivas realizadas.

Ainda ontem, o delegado-chefe da 1ª DP, Watson Warmling, começou a ouvir testemunhas. Quatro funcionários da escola prestaram depoimento, mas a Polícia Civil também pretende conversar com outros professores e assistentes, além dos pais de outros alunos. No momento do afogamento, só havia alunos e funcionários do Dromos no local. Mas, pouco antes da morte de Daniela, uma das mães assistiu à aula de natação e teria até fotografado as atividades. “Vamos solicitar essas fotografias e também vamos conversar com mães que já acompanharam a natação oferecida na escola para saber como era a conduta dos professores durante as aulas”, explica o delegado Watson Warmling.

via Correio Braziliense – Cidades DF – Polícia abre inquérito para apurar afogamento de criança de dois anos.



Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *