Notí­cias Polí­tica Racismo

Folha rejeitou anúncio de Paulo Henrique Amorim que desvirtuou sentença

Por Márcio Chaer, do Conjur

A Folha de S.Paulo vai publicar nesta quarta-feira (7/3) a retratação em que o blogueiro Paulo Henrique Amorim recua e reconhece seu erro nas ofensas raciais contra o jornalista Heraldo Pereira, da TV Globo. Sem comentários nem acréscimos: apenas com o que o juiz determinou.

O jornal explica que a retratação não foi publicada nesta terça-feira não só porque esse é o procedimento padrão, em caso de informes publicitários, como por que o texto original da sentença do juiz fora adulterado. “A diferença entre os textos tornou mais imperativa ainda a assinatura do termo de responsabilidade”, explicou o diretor jurídico da Folha, Orlando Molina.

Para facilitar a publicação, o jornal concordou, logo no início, que o termo fosse assinado pelo advogado de Amorim. O departamento jurídico da Folha, para o caso de pedido judicial, guarda toda a troca de correspondência eletrônica em que ofereceu, em tempo hábil, a facilidade para a publicação — uma vez que seu representante afirmou que Amorim encontra-se no exterior.

Mas o réu capitulou uma vez mais. O termo de responsabilidade finalmente foi entregue ao jornal nesta terça. O advogado de Amorim fez constar do termo o texto a ser publicado, sem ressalvas nem acréscimos.

via Conjur – Folha rejeitou anúncio de Paulo Henrique Amorim que desvirtuou sentença.

Related posts

Lula anuncia hoje concessão de refúgio a Battisti

Fábio Pannunzio

Petistas reagem mal às declarações do procurador-geral da República

Depois do Mensalão do PT e do “trensalão” tucano, vem aí o “aviãossalão”

Fábio Pannunzio

1 comment

paulo de lima rodrigues 28/04/2012 at 15:14

Não estou aqui para defender PHA e nem o PT.
Mas o fato é que a imprensa brasileira tem “dois pesos, e duas medidas”, veiculam somente aquilo que é de seu interesse e ignoram fatos que deveriam chegar a população.
E é exatamente por isso que estão perdendo cada vez mais credibilidade.
Hoje blogs são mais confiáveis que a velha mídia, mas toda e qualquer informação não deve ser simplesmente “digerida” pela população, ela deve ser avaliada, devemos ver qual o “teor” de interesse burguês tem por trás dela.
Eu não acredito nem uma vírgula nessa tal de liberdade de expressão que os barões da informação querem nos “vender”. Somente acho que toda informação veiculada tem que ter fundamentação e que a imprensa não é a dona da verdade, só isso!

Reply

Leave a Comment