Pannunzio Comunicação – Blog do Pannunzio

Mesmo afastada da Câmara, Eurides deve continuar a receber o salário de R$ 12,4 mil

Lilian Tahan

Eurides Brito (PMDB) está desempregada. Mas continuará a receber salário. Para a assessoria jurídica da Câmara Legislativa, a deputada afastada por ordem judicial deve ficar impedida de movimentar a verba de gabinete, não terá mais funcionários à sua disposição, porém permanecerá ganhando R$ 12,4 mil ao mês. No lugar da distrital, entrou Roberto Lucena (PR), que está livre para colocar no gabinete os assessores de sua preferência. Ele tomou posse na tarde de ontem, enquanto colaboradores de Eurides desmontavam o gabinete da parlamentar interditada.

Na manhã de hoje, os deputados que integram a Mesa Diretora da Câmara vão votar o parecer elaborado pela Procuradoria-Geral da Casa a pedido do presidente Wilson Lima (PR). Devem acatar as sugestões da assessoria técnica. “Em consequência do afastamento da titular do mandato e da convocação do suplente, os servidores atualmente lotados no gabinete de Eurides Brito devem ser exonerados, haja vista que a referida deputada deixará de exercer as atividades de parlamentar”, considera o procurador Fernando Nazaré em seu parecer.

Mas Roberto Lucena, que tem direito à remuneração de R$ 12,4 mil, deve aguardar até o fim do mês para substituir os funcionários. Se os servidores fossem demitidos imediatamente, teriam de devolver parte dos salários para a Câmara. Para evitar o constrangimento, o substituto de Eurides resolveu esperar o fechamento da folha de maio. Depois do prazo, os R$ 98 mil disponíveis para a contratação de pessoal serão aplicados confome o interesse de Lucena. A verba indenizatória — R$ 11, 2 mil mensais — também passa imediatamente para o suplente empossado.

Na tarde de ontem, os servidores do gabinete de Eurides fizeram um mutirão para retirar os pertences da distrital da Câmara. Levaram embora documentos, objetos pessoais e até um boneco de papelão em tamanho natural de Eurides. Ao todo, 23 servidores estavam lotados no gabinete da deputada afastada. Os advogados dela vão entrar hoje com um recurso na Justiça do Distrito Federal na tentativa de reverter a decisão de retirá-la do cargo. Segundo o juiz Álvaro Ciarlini, da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito, Eurides deverá permanecer fora da Câmara enquanto durar o processo por quebra de decoro parlamentar a que a distrital responde na Comissão de Ética da Câmara.

Na prática, dificilmente Eurides voltará ao posto de deputada na atual legislatura. Isso porque o mais provável é o parecer do relatório(1) preparado sobre o caso pedir a cassação do mandato dela. O documento se apoiará em contradições apuradas entre a versão apresentada pela peemedebista e os depoimentos prestados por testemunhas ouvidas na Comissão de Ética. A relatora Érika Kokay (PT) tem até o próximo dia 27 para finalizar o texto, mas poderá pedir a prorrogação por mais 30 dias. Deve, no entanto, concluir o material nos próximos dias.

Clique aqui para ler a íntegra no site do Correio

Share the Post:

Join Our Newsletter